Cialalala


Não, não.

Eu não estava esperando dobrar o número de visitas ao blog, para poder publicar de novo.

Não, eu não sou tão sacana assim.

O q anda ocorrendo, é q minha rotina semanal está uma merda:



Estudo de segunda a sexta das 9h as 13h.

+

Trabalho 5 dias por semana, sendo quarta e sábado meus dias de folga, e geralmente no período das 16h a 00h.

+

Para ir da minha casa para o curso gasto 30min.

+

Para ir do trabalho de volta para casa gasto 30min.(o trabalho fica no quarteirão vizinho onde faço o curso)

+

Comer

+

Cagar

+

Tomar Banho

+

Ver e-mail(quando alguém manda)

+

Insônia ao tentar dormir logo após chegar do trabalho

-

24 horas do dia

=

Em geral sobra umas 5 a 6 horas pra dormir e umas 2 a 3 horas livres(q em geral gasto, indo pra casa dormir)



Escrito por Flávio Swart às 17h06
[   ] [ envie esta mensagem ] [ ]




Mas em resumo faço 2 coisas:



Trabaiu

O trabalho no restaurante é bem cansativo.

Cansativo é uma variável do meu trabalho que pode acilar entre cansativo, mais cansativo, puta casativo, e puta que pariu como meu trabalho é desumano.

Trabalhar nesse restaurante é uma loucura, pois o louco tem q trabalhar muito rápido e sem descanso.

Por ser um restaurante pequeno, o time composto pelo cozinheiro, o limpador de louça e o limpador da cozinha, é composto por uma pessoa só. Potanto trabalho, é uma coisa q não falta. Salvo nos dias de quinta e sexta, em que trabalho junto com outro cozinheiro, mas que por serem dias de bastante movimento, também não se escapa de ter bastante trabalho.

Fora isso, trabalhar como desumano, ou como um louco; o trabalho de cozinheiro exige diversas habilidades, tais como fritar, assar, e picar. Que por sua vez, quase todos os dias é diversamente praticada, fritando e assando a mão, ou cortando os dedos.

Mas fora isso está indo bem.

Legal também, é q estou ganhando de presente do meu chefe, um dinheiro em troca pelo trabalho q faço, mas q por sua vez eu tenho q dar tudo para a dona do apartamento e para o curso de Técnica de Alexander.



Curso
Eu não vou contar o q é, ou como é esse curso, mesmo porque não tenho palavras pra esplicar sua grandiosidade.

Mas vou contar um causo. Na verdade é um causo verídico e inverídico. É, tipo assim um gênero diferente, q inventei sem querer, mesmo q querendo.



Escrito por Flávio Swart às 17h06
[   ] [ envie esta mensagem ] [ ]




Causo

Nonada! Tinha um caboclo q reclamava de ter sempre uma das narinas tapadas.

Pois por sempre achar meio estranho esse incômodo, um dia ele resolveu ir em um lugar chamado consultório médico.

Consultório medico é um lugar que tem sujeitos entitulados doutores, q por sua vez são pessoas cientificamente hábeis para sanar problemas relacionados a saúde dos seres humanos.

Pois então o caboclo foi lá e perguntou:

-Doutor, acontece um problema "X" com o meu nariz, de forma tal que sempre uma de minhas narinas está obstruída?

Respondeu:

-Óia. Seu nariz tem um pobrema "ípisolu", i por causa disso, cê vai te q ponhá um remédim drento, qui vai abri seu nariz. Caso contráiri nóis pode tamém rancá um pedaçim do nariz, pra modi miorá as entrada e saida dos óssigêno.

Pronto.

Diagnóstico feito.

Agora o caboclo tem q tomar as providências.

Dá-lhe um soco no meio da fúça do incompetente.



O rosto é composto pos vários músculos, músculos que são conectados não só na parte óssea do crâneo, como também são conectados um ao outro, contruindo como se fosse uma mascara de músculos.

No causo acima, o incompetente não diagnosticou q o caboclo, para respirar, usa a boca aberta e respira pelo nariz.

Para um caboclo conseguir respirar pelo nariz e manter a boca aberta, ele tem q usar a parte posterior da língua para tapar o buraco q liga a boca na faringe. Porém essa tarefa faz com q a língua saia fora da posição de descanço e fique tencionada para tráz.

Como já disse acima, os músculos da face são ligados, e inclusive existem músculos q se ligam ao canal nasal. Por a face estar tencionada, os canais nasais se fecham, assim o caboclo não respira direito.

 

Trato respiratório superior

Pra ver os músculos da façe, entre nesse link. http://www.anatomiaonline.com/cabeca.htm  



Escrito por Flávio Swart às 17h05
[   ] [ envie esta mensagem ] [ ]




Burrinho dos Swart

 

Não, esse burrinho q refiro acima não sou eu, mas sim é o título q eu inventei para um outro causo q gostaria de contar.

 

Quando meus bisavós emigraram da Holanda para o Brasil, ele se estabeleceram no lugar q hoje é a cidade de Holambra. A grande família, com todos os 10 filhos, moravam na roça, e por isso, para as crianças irem da roça até a escola q ficava na cidade, eles utilizavam uma carroça.

Essa carroça era puxada por um burrinho. Mas como o burrinho era meio lerdo, as crianças resolveram a situação da lerdeza, colocando um pauzinho no cú do burrinho.

Então o burrinho passou a andar mais depressa. Porém chegou um dia em q uma das crianças empurrou tanto o pauzinho q quando eles chegaram em casa o coitado do burrinho caiu morto.

 

 

Eu sei q isso não deve ser nada engraçado para alguns. Então me desculpem os q são moda dos vegetarianos protetores dos animais. É q eu nasci ainda na época em q a moda era outra.



Escrito por Flávio Swart às 16h45
[   ] [ envie esta mensagem ] [ ]




Para finalizar, é com muita honra q coloco neste blog, esse presente q foi nos dado por essa dupla fabulosa.

 

Intérpretes: Milton Nasimento e Naná Vasconcélos

Música: San Vicent

Autores: Milton Nacimento e Fernando Brant 

 

 

 

E se falam tanto em discos voadores, e q os Et’s viram pra cá buscar as pessoas de espirito elevado, faço através deste blog, meu apêlo para q por favor não façam isso. Mas sim, levem todas as pessoas q escondem e matam a beleza dos seres humanos.

 

Levem eles para um planeta pequeno e escuro, bem longe daqui.

Escrito por Flávio Swart às 16h44
[   ] [ envie esta mensagem ] [ ]




Ibope do Blog

 

Engraçado é notar q durante todo esse tempo em q fiquei distante do blog, o número de acesso, em relação ao dia q postei pela última vez, dobrou.

Sim, o q antes era uns 500 visitantes, hoje passa dos 1000. Ou seja, 500 vezes, pessoas entraram aqui para não ver nenhuma novidade.

Mas o q isso significa?

Significa q os blogoespectadores gostam mais de quando eu não publico nada.

 

Mas eu não quero desanimar-lhes.

E quero até aproveitar para antecipadamente pedir-lhes desculpas!

Pois quero lhes dar a má notícia de q infelizmente continuarei a publicar.



Escrito por Flávio Swart às 11h32
[   ] [ envie esta mensagem ] [ ]




Anais da novela


Sim...finalmente consegui o contrato e consecutivamente consegui a minha legalização par trabalhar. Essa legalização ficou pronta no dia 13 do mês passado. E desde então, comecei a procurar emprego, mas sem sucesso. E para piorar minha carteira estava q nem filme de náufrago, q vai contando os dias, mas no meu caso, a cada dia, vai contando regressivamente o dinheiro, chegando ao saldo de 12€ e alguns centavos.
Mas, eróicamente fui salvo por minha tia Lidia, tão querida, q viajou do Brasil até aqui, para me ajudar. E cláro q também, em segundo plano, passar uns dias de férias por aqui.

Ela me emprestou um dinheiro. Mas não bastasse essa grandiosa ajuda de minha tia, ela também foi responsável por entermediar a vinda de mantimentos alimentícios enviados pelas tropas brasileiras comandadas por minha mãe. Foram me enviados cinco quilos de feijão, uma panela de pressão e alguns quilos de livros. Ah, não esquecendo também q minha tia me deu um saco de farofa.

E assim os anais dessa novela, não só termina com um final feliz, mas também com o meu grandioso agradecimento a minha tia, minha mãe e a todos q participaram da campanha Flavião fome zero: peidão de feijão 100%.



Escrito por Flávio Swart às 10h54
[   ] [ envie esta mensagem ] [ ]




Dia bonito

 

No primeiro dia q cheguei na Holanda, na casa do Rodrigo, o mesmo me disse:

-Pô, q legal q vc está aqui! Chegou em um dia bom. Dia dia bonito né!?

E pensei, mas é dia normal como qualquer um.

Pois bem, acho q cada vez mais estou a entender o q é um dia bonito aqui na Holanda. Porque um dia de sol, sem nuvens, sem vento, sem chuva, está se tornando cada vez mais raro ao passar do tempo q estou aqui.



Escrito por Flávio Swart às 10h54
[   ] [ envie esta mensagem ] [ ]




Planos

Pois me veio uma grande idéia viver meus tempos por aqui.

 

Como ando muito desapontado com a expressão musical social, decidi me afastar um pouco dessa atividade. Essa vontade de ser músico, q um dia foi muito forte dentro de mim e hoje se apresenta com apatia, me deixa muito encafifado com possível relação, da densa teoria musical, obtida durante minha formação acadêmica, de certa forma ter me distanciado do real sentido musical. Portanto resolvi me afastar por uns tempos e pesquisar novas coisas.

Uma das coisas q tem muito me chama atenção é a técnica de Alexander, qual irei descrever sua importância em um futuro próximo. Mas o q resolvi fazer, como já estou fazendo, é o curso para me tornar professor dessa técnica. Curso tal q dura 3 anos, e q aqui custa tão caro quanto estudar medicina.

E como todos sabem, para viver precisa-se trabalhar. E é aí q o "X" da grande idéia aparece. Pois como tenho me interessado muito pela arte da culinária, decidi trabalhar de cozinheiro, durante todo o tempo em q estiver aqui. E tentarei trabalhar na cozinha dos restaurantes das mais variadas culturas, pois aqui tem vários de diversos tipos de países.



Escrito por Flávio Swart às 10h53
[   ] [ envie esta mensagem ] [ ]




Emprego

(uma novela acaba e começa a outra)

 

Pois numa dessas manhã comuns q a gente acorda desempregado, desiludido e, no bom sentido, fudido, resolvi arrumar a casa. Limpei o banheiro de tomar banho, o banheiro de cagá(pq aqui são separados), a cozinha e também passei minhas roupas. Mas após isso, me ocorreu uma grande inspiração de sair pra procurar emprego em todos os restaurante q achasse na minha frente. Peguei minha biscicréta e fui.

Passei o dia inteiro e nada. Só conseguia deixar meu telefone nos lugares q disseram talves precisar de alguém. Mas foi então q no último deles, um restaurante grande e meio chique, q eu pensei q nunca conseguiria emprego, foi justamente o q precisavam de cozinheiro. E até me convidaram pra ir ver como era a cozinha.

Eu disse: eu quero um trabalho de tempo integral pra trabalhar 6 dias por semana!

Então eu deixei meu telefone e eles ficaram de discutir e me telefonar. Mas deu 5 minutos, q eu deixei o restaurante, e eles já me ligaram perguntando se eu poderia ir no dia seguinte as 11h, pra fazer um teste. E eu disse q sim

Pois então fui lá no dia seguinte, todo contente. Mas chegando lá um dos chefes q eu ainda não tinha conhecido, me falou q naquele dia eu não poderia trabalhar, q ele não queria empregar cozinheiro sem esperiência, mas q ele ia discutir isso com os outros chefes e q talves ele me ligaria.

Pois então fiquei puto e fui para um outro restaurante, q havia me falado para retornar no dia seguinte. Fui lá e eles me disseram q precisavam de alguém pra limpar a louça durante uns 3 dias por semana. Mas eu disse q precisa um trabalho de tempo integral, mas e eles disseram q seria possível, pois na verdade o restaurante é de um dono q tem vários outros restaurantes, e q por isso talves eu puderia trabalhar nos outros também, pra assim poder completar a carga horária q eu queria.

Então eles me perguntaram quando eu poderia começar. E eu disse, q poderia começar ontem. Daí eles falaram q naquele dia não dava pra começar pq eles já estavam com uma outra pessoa limpando, mas q ele ia ver com o restaurante do lado, q era também do mesmo dono, pra ver se eles tinham trabalho naquele dia.

Pois fomos lá no restaurante vizinho, e quando cheguamos, adivinha qual era aquele restaurante? Era justamente o qual tinha me "dispensado". Então também disseram, q não tinham nada pra limpar naquele dia, mas q eles estavam ainda pensando sobre minha convocação e q logo entrariam em contato pra me responder. Mas na mesma tarde me ligaram pra dizer q queriam me adimitir, como cozinheiro, e q era preu fazer um teste na segunda feira.

Muito bacana, não? O Flávião vestido de cozinheiro, em um restaurante bacana, q mais tarde fui saber, q até rainha da Holanda foi lá pra tomar chá.

Começando no novo emprego, no dia do teste, me mandaram fazer limpesa. Daí no segundo dia me mandaram fazer limpesa de novo. Daí no terceiro dia me mandaram fazer limpesa de novo. Mas nesse dia foi diferente, porque no fim do trabalho, o chefe me chamou e me despedio do emprego. Alegou q eles não mais precisavam de cozinheiro e q também meu ingles(minha comunicação) era ruim, e q isso atrapalharia o trabalho.

 

Portanto, novamente na rua da margura.



Escrito por Flávio Swart às 10h52
[   ] [ envie esta mensagem ] [ ]




Emprego 2

 

Mas.....mas....eis q o flávinho, ao acabar de levar esse chutão na bunda, levanta a cabeça e segue adiante. Adiante para o olho da rua.

 

E bem lembrei-me. q nesse meio tempo em q estive empregado, alguns restaurantes, qual estive procurando emprego, haviam me retornado. Então liguei para eles de volta e um deles, imediatamente me chamou para discutir sobre o emprego de cozinheiro.

Fui lá e era um restaurante pequeno q cozinha pastas. O dono, q também é um dos cozinheiros, me convidou para no dia seguinte fazer um teste e começar a aprender a cozinhar macarrão.

No dia seguinte, consegui ser contratado. E No final das contas acabei gostando mais ainda desse, do outro restaurante, pois, por ser pequeno, todo o sistema de cozinha e bar é bem simples, e também o pessoal q trabalha lá é bem bacana. Fora isso, esse restaurante paga bem melhor q o outro.



Escrito por Flávio Swart às 10h51
[   ] [ envie esta mensagem ] [ ]




Mas cozinhar macarrão Flavião? Qualquer um sabe!

 

É. Pra cozinhar macarrão vc só precisa saber ler embalagem né!?

Mas não é bem assim q acontece em uma cozinha de restaurante, pois para fazer esse tipo de trabalho é exigida muitas abilidades. A primeira delas é ter de cor todo o cardápio e os ingredientes. A segunda é ser ágil durante os insensantes pedidos dos cliente. A terceira, é saber lidar com o fogo, pois o fogo vai ditar o tempo do cozer, e se vc dá bobeira vc faz q nem o Reinaldo Gianecchinni: queima a rosca.

Mas o problema é mesmo problemático, justamente na hora q aparecem 5 pratos diferentes pra vc fazer na mesma hora. É, e se vc não tiver tudo em ordem dentro da cabeça e não conseguir trabalhar rápido, abilidade qual ainda estou desenvolvendo, é muito fácil você antecipar a ordem dos resultados, ao invés de fazer a comida, já fazer a cagada.

A conclusão q coloco agora não é machismo de minha parte, mas acredito q não é atoa q sempre se ouve falar em chefes de cozinha homens. Pois o trabalho é pesado.



Escrito por Flávio Swart às 10h51
[   ] [ envie esta mensagem ] [ ]




Pindaíba

 

Pindaíba não é o nome de uma cidade, mas é o nome de um estado. Estado qual estive, pela minha primeira vez na vida, nesses últimos dias. Mas o q gostaria de registrar, desses maus tempos, é que, assim como diz os orientais, nosso corpo não é separado da mente. Pois esses dias, em q estive muito preocupado com como resolver minha situação, foram suficientes para aparecerem dores nas mãos, caspas, insônia, perda de peso e perda de vontade de escrever no blog. Não q eu havia esgotado minhas mãos em algum tipo de trabalho esforçado, e nem q não havia comida suficiênte, mas foram suficientes para também aparecer colateralmente maus resultados.

Mas o q isso realmente significa para mim, é q sou um dos muitos animais racionais, q não tem o poder de controlar seu próprio organismo.

Mas será possível o Homem, o animal racional, controlar seu próprio organismo?

 

Mas de imediato, estou novamente saudável, e peidando bastante.

Escrito por Flávio Swart às 10h49
[   ] [ envie esta mensagem ] [ ]




Restaurantes de Amsterdam: a disneilândia Holandesa

 

Desconheço outros lugares da europa mas, assim como já havia dito, Amsterdam é uma cidade cheia de canais, e além de ser cheia de canais, esses canais também são cheios de água.

Eu tentei pesquisar, mas ainda não sei porque cargas d'água, os ratos são animais q vivem em ambientes onde passam água. Portanto Amsterdam, além de ter esses canais cheio de água, também tem, como já havia dito em um post antigo, muitos ratos.

Mas o q gostaria de trazer em pauta de minhas recentes pesquisas, é q durante os três dias em q estive trabalhando no restaurante em q fui demitido, pude presenciar com mais proximidade a vida desse roedor mamífero.

É de se espantar, pois os ratos vivem na cozinha da mãe Joana. Eles passam velózmente entre uma pia e outra, pegando as migalhas de comida q caem no chão. E uma vez q não tem mais ninguém se movimentando na cozinha, e se você ficar parado, poderá claramente ver esse animal, q com muita tranquilidade, para diante de ti, a uns 4 metros, e faz sua refeição.

Ah, sim. É cláro q eles não se limitam a passer só por de baixo da pia, mas as vezes também por cima.

E naturalmente, é de se concluir q, durante a madrugada a festa rola solta.

 

Até me inspirei em fazer uma música de rock. O enrredo é mais o menos assim:

A rainha q morreu de leptospirose.

 

Ah...quem quiser está convidado a fazer parceria.



Escrito por Flávio Swart às 10h49
[   ] [ envie esta mensagem ] [ ]




FLÁVIO, O RETORNO



Bom, o capítulo, FLÁVIO, O RETORNO na verdade foi um fracasso, pois, sem o documento assinado pela *#%&^$ da dona do apartamento, não pude me registrar na prefeitura. Mas não tem problemas pois esse episódio gerou um próximo, chamado agora de FLÁVIO, A IDA.


Mas no q consiste isso senhor Flávio?


Sim, depois de ficar 10 vezes mais puto por ainda não ter o contrato em mãos, fui novamente na imobiliária perguntar se tinham alguma novidade e eles negaram, mas assim pedi se eles tinham o endereço residêncial dela, o q foi me cedido. Peguei minha biscicréta e andei por uma hora até chegar na residência dessa *#%&^$. Chegando lá, interfonei e surpreendentemente alguém me atendeu, e perguntei se a *#%&^$ estava presente, e me disse q não, mas pra deixar meu telefone e nome pra ela entrar em contato.


Depois de 5 minutos, a *#%&^$ da dona do apartamento me retornou assustada, querendo saber quem e porque esse alguém tinha ido lá em sua residêcia, e quem tinha lhe passado seu endereço.


Pois bem, esse foi uma passagem muito importante para mim pois agora sei q sou uma pessoa capaz de achar pessoas perdidas. Mas lastimo por não ter ciência disso antes e não ter ajudado o pobre padre baloeiro burro.


Mas isso também foi um importantíssimo passo, não diria passo pois foi pedalada, uma importantíssima pedalada, para abrir as portas da comunicação entre a *#%&^$ da dona, a imobiliária e os moradores do apartamento.


E assim termina esse capítulo, mas não fique q nem depois de assistir a novela, esperando angustiado pelo próximo capítulo, pois vc pode acompanhar na ítegra, de gratis e de bonus, o próximo capítulo, das aventuras de Flávio, abaixo em:







FLÁVIO, EM BUSCA DO CONTRATO PROMETIDO



Sendo portador do telefone da *#%&^$ da dona do paratamento, é claro q liguei para reclamar a ausência do contrato em minhas mãos. Mas muito contrariado ouvi ela dizer q não estava sabendo de nada sobre mim no apartamento e q todos inclusive a imobiliária tinham os contatos necesários para executar a função primordial dos contatos, q é fazer contatos.


Obs: Bom, eu sei q neste momento cheguei num ponto em q minha escrita tornou-se muito complexa e filosófica-transendental, mas a compreesão ou não, é um problema seu.


Continuemus…


Blasfêmea!!! Pois de fato ninguém tinha os contatos necessários para executar a função primordial dos contatos, q é fazer contatos.


Mas então por via dela, fiquei sabendo q existe uma pessoa, q é um dos moradores do apartamento, q é um tipo de responsável-mór por assinar o contrato e também zelar pelo pagamento do aluguél de todos, E q portanto, ela só me daria o contrato se antes tiver a assinatura dessa pessoa.


Mas para contá-los quem é esse misterioso morador, responsável-mór pelo contrato, vou avisá-los de q o mesmo foi o responsável por esquecer de falar a #*%&* da dona do apartamento, de q eu era um novo morador alí. E se não basta-se foi responsável por negociar, nosso novo contrato, aceitanto a idéia de pagar o aluguél antes de ter em mãos o fabuloso contrato. Desculpem-me, não é preconceito, mas quem foi q fez essas coisas foi conhecidentemente uma pessoa de sexualidade feminina, de cabelos loiros e q é de orígem portuguesa, de nome Maria Isabél Vaz.



Justamente, a vontade maior, é de dizer agora:



Ora pois!!!….Maria Isabél Vaz tomar naquele lugar!



Mas é certo de q ao conversar com a *#%&^$ da dona do paratamento, disse umas *#%&^$#”$% e mais um caminhão de abobrinha, pois por culpa dessa falta de contato dela, tive de gastar todo o dinheiro q tinha economisado, pra comprar meus pratos, e q perdi todo esse tempo sem trabalho ou seja, sem ganhar dinheiro. Não é q eu me tornei uma ambicioso por dinheiro, mas eu tinha, e tenho ainda, muitos planos para investir esse dinheiro em curso de técnica de Alexander, mestrado, e etc…e que por conta dessa merda toda, não pude decidir por fazer esse ano.



Mas apesar de todo meu lamento, não vou conseguir esse contrato pra ontem, e só na terça q vem, segundo o carinha q trabalha na imobiliária









Bom….hoje não termino minhas escritas com um final muito glorioso, portanto para criar organicidade, resolvi postar um video q reflete o momento atual da micro-blogosfera Cialalala.



Desculpe-me, mas não sei quais são os atores e nem os autores.






Escrito por Flávio Swart às 16h22
[   ] [ envie esta mensagem ] [ ]


[ página principal ] [ ver mensagens anteriores ]


 
Histórico
Outros sites
  Blog Danilo Gentili
  Travalingua
  Blog do Tas
Votação
  Dê uma nota para meu blog



O que é isto?